Categorias: Amor Próprio, Comportamento, Depressão, psicólogo, Relacionamento

Alguém que eu amo tem depressão

Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) a depressão é um transtorno que torna-se cada vez mais comum em todo o mundo, com um numero estimado em cerca de 300 milhões de pessoas sofrendo com esse mal.

“A condição é diferente das flutuações usuais de humor e das respostas emocionais de curta duração aos desafios da vida cotidiana. Especialmente quando de longa duração e com intensidade moderada ou grave, a depressão pode se tornar uma crítica condição de saúde.”(paho.org/depressão)

Pode causa grande sofrimento pois afeta a vida cotidiana do individuo, trazendo inclusive inúmeras complicações em vários ambientes como no trabalho, na escola ou no meio familiar. E é sobre o meio familiar que eu gostaria de falar um pouco com vocês.

Como lidar com a pessoa em depressão? Como não se sentir incapaz diante de um transtorno tão paralisante como a depressão? Muitas famílias (maridos, esposas, pais, filhos) ficam extremamente abalados por não saberem como agir, como ajudar, ou como se comportar no convívio com portadores de transtornos depressivos. Alguns relacionamentos passam por crises e até mesmo chegam ao fim justamente pela ausência de atenção aos familiares, pois a pessoa com tal diagnóstico sente que está lutando sozinha. Entretanto, como agir? O que os familiares podem fazer para conviver e ajudar, diante desse quadro?

É preciso pedir ajuda profissional não apenas para o portador do transtornos, mas também para aqueles que os cercam. É preciso se informar sobre o assunto. é preciso ter paciência.
Muitos familiares sentem-se tão impotentes que chegam a julgar se a dor do outro é verdadeira, mas perceba, existe ali também, naquele familiar que não sabe como pode fazer para ajudar, um sofrimento silencioso.

Portanto, não se culpe por não saber o que fazer, ou por se sentir sobrecarregado. Entenda que é um momento difícil para todos.

A seguir algumas dicas sobre como se relacionar com seus entes queridos com depressão:

– Em primeiro lugar tenha paciência; Viva um dia de cada vez.

– Não o trate como um coitadinho. Entenda que a depressão é uma doença e que precisa de tratamento.

– Esteja disposto a ouvir. Caso a pessoa esteja precisando falar.

– Não se incomode com seu silêncio. Haverão dias em que só ficar ao lado é suficiente.

– Não se incomode com seu choro. Em contrapartida, haverão momentos de chorar. Não tente consolar, apenas esteja presente.

– Não o obrigue a sair de casa – Proponha atividades, seja criativo, mas não insista. Apenas convide e aguarde o tempo da pessoa.

– Evite frases do tipo: “não fica assim”, “você precisa se ajudar”, “pensa positivo” – essas frase não ajudam e ainda podem desencadear gatilhos de incapacidade.

Essas são algumas dicas para tornar a convivência mais agradável. E não esqueça de fazer coisas para o seu bem-estar também. Saia, se exercite, se fortaleça e acredite que vai passar!

Leia também: Entre o passado e futuro

psicologo-tijuca